Publicada em 17 de Julho de 2021

Dia de Proteção das Florestas é comemorado com lançamento de vídeo

Em alusão ao Dia de Proteção das Florestas (17/07), o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), por meio da Gestão Ambiental das obras da BR-285/RS/SC, lança um vídeo que mostra as diferentes formações florestais abrangidas pelo território em que se localiza o empreendimento, entre os municípios de São José dos Ausentes (RS) e Timbé do Sul (SC). 

As obras da rodovia estão inseridas na Mata Atlântica, um dos biomas mais ricos em biodiversidade do planeta e onde vive mais de 70% da população brasileira. Em Timbé do Sul predomina a Floresta Ombrófila Densa, termo que tem origem grega e significa “amigo das chuvas”. A sua vegetação tem como característica a mata sempre verde, com dossel – que é o estrato superior da floresta – de até 50 metros. Espécies de samambaias, bromélias, palmeiras e trepadeiras são características deste local.

Já a região de São José dos Ausentes é representada pelos Campos de Cima da Serra, onde predomina uma vegetação rasteira e herbácea. São campos limpos, turfosos e muito úmidos entremeados pela Floresta Ombrófila Mista, também conhecida como mata de araucária. A presença do pinheiro-brasileiro com a sua abundância, porte e tipo de copa imprime uma feição própria desta formação. 

Medidas de mitigação e compensação dos impactos

Por conta deste cenário de diversidade, o licenciamento ambiental do empreendimento prevê uma série de medidas para mitigar ou compensar os impactos à flora. O Consórcio Construtor executa quatro Programas Ambientais que envolvem o controle da supressão vegetal, a erradicação e prevenção de espécies exóticas invasoras, a recomposição florestal e o aproveitamento científico da vegetação. 

Se destacam atividades como o resgate de frutos, sementes e mudas para posterior plantio no entorno da rodovia, a coleta de material botânico para documentação científica e o transplante de espécies ameaçadas, como o xaxim, o palmiteiro e o urtigão-da-serra. A grande produção de mudas de espécies arbóreas e herbáceas nos viveiros viabilizou, além das atividades de conservação, a utilização das plantas na recuperação de áreas degradadas nas obras. 

Acesse o vídeo em Full HD no Youtube:  https://www.youtube.com/watch?v=cXGKcTYvLZo
Disponível também na página da Gestão Ambiental no Facebook: https://www.facebook.com/BR285RSSC