Publicada em 07 de Junho de 2019

DNIT executa projeto de sinalização no trecho urbano

Concluída a pavimentação asfáltica no trecho urbano da BR-285/RS/SC, em Timbé do Sul, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/SC), por meio do Consórcio Setep/Ivaí/Sotepa, iniciou a execução das obras complementares e do projeto de sinalização neste segmento que tem aproximadamente cinco quilômetros. Esta etapa do empreendimento inclui a implantação de estruturas que visam proteger a faixa de domínio e a circulação dos usuários.

Dentre os serviços em andamento estão a construção das calçadas e meios-fios, bem como a fixação das cercas (atividade já vinha sendo realizada pelo Consórcio Construtor do Lote 2). Em relação aos dispositivos de sinalização e segurança, destaca-se a execução de quatro lombofaixas - faixas elevadas para travessia de pedestres: uma na Vila Belmiro, duas na Rocinha e uma no Pé da Serra. Além de ampliar a visibilidade dos pontos de travessia, estas estruturas igualmente funcionam como redutores de velocidade dos veículos. 

O projeto conta ainda com dispositivos de sinalização vertical, que são os sinais de trânsito (placas) para advertir, regulamentar e indicar a forma correta para a movimentação de veículos e pedestres; e de sinalização horizontal, que é realizada através de marcações no pavimento para tornar a operação da rodovia mais eficiente e segura. “É fundamental que todos preservem estas placas de sinalização, pois são implantadas para segurança de usuários e moradores da região”, enfatiza o fiscal técnico do contrato, engenheiro Robson Medeiros de Oliveira (DNIT/SC). Outros itens previstos são as defensas metálicas e barreiras de concreto, que são dispositivos físicos para evitar a saída de pista dos veículos usuários da rodovia.

Pavimentação da serra – Na Serra da Rocinha foi iniciada a pista experimental da confecção do pavimento rígido por meio da camada de concreto compactado a rolo (CCR), a qual antecede a colocação das placas de concreto que têm prazo mínimo de 28 dias para atingir a sua resistência de projeto. Vale lembrar que a serra está totalmente interditada em virtude da pavimentação e da impossibilidade de se garantir a segurança do trânsito de veículos estranhos à obra durante os trabalhos, mesmo em horários alternados, sem que haja prejuízo ao cumprimento do cronograma planejado. 

O DNIT deu sequência também às atividades de terraplenagem e implantação do sistema de drenagem (bueiros, descidas d’água, drenos profundos e sub-horizontais). Quanto aos viadutos, salienta-se que o V-3 está na fase de construção dos pilares e travessas e o V-4 recebe serviços de concretagem do tabuleiro. Os outros dois viadutos (V-1 e V-2) já foram concluídos.